maio 15, 2006

Paixão Deslizante // Capítulo 2

Cena 2. Na casa de Helen

Helen chega no pior do mau humor, ainda que radiante de beleza. É recebida por Jô, sua emprega. Jô é daquelas que pegam o ônibus segurando uma toalhinha escrito GRES Portela. Mora "ni Cascadura", é destaque da Portela, faz uma feijoada de derreter e sabe de tudo que se passar no Leblon:

Jô ? Dona Helen .. seo Pedro Luiz ligou, disse que tá na fazenda cuidando dos carneiros e que volta no final da semana ..

Helen - Ele só pensa nesses carneiros!


Jô ? Seo Joaquim Pedro também ligou perguntando se a senhora estava bem e se tinha chegado em casa direito.

Helen - Saco! Esse Joaquim é um mala!


Jô ? Ah! Seo Augusto também ligou querendo saber do Daniel.

Helen - Quem vai ser agora ... o Lula??


Jô ? Calma, dona Helen .. segura o balde ...

Helen ? Desculpa, Jô .. mas não aguento essa macharada no meu pé. As vezes eu queria ser assim .. uma mulher simples, ter uma vida simples ...


Jô - Quer trocar? Topo agora!

Helen - Vou tomar um banho. Estou com uma enxaqueca horrível!

Jô - Jesus Maria José .. segura que a mulher hoje tá com o cão no corpo.


Helen - Tive um dia do cão mesmo e ainda encontrei aquela maaaaala da Alicinha na praia. Não mereço!

Jô - Vou preparar uma bebida pra senhora ...

Helen ? Capricha na Magnífica!


Enquanto isso na casa de Joaquim Pedro ...

Cristina caminha frenética na esteira. Sua em bicas. Joaquim Pedro chega.

Joaquim ? Oi meu bem.

Cristina ? Não me toque. Não fale comigo. Estou me exercitando.

Joaquim suspira enquanto troca de roupa. Por que diabos ele casou com uma mulher tão chata. Tudo nela é tão chato. Mas tão chato ...

Cristiana ? Aquela sirigaita está com problemas no coração?

JP ? Não comece ...

Cristina ? Milhões de cardiologistas no mundo e aquela lambisgóia tinha que ir ao seu consultório?

JP ? Eu sou médico, Cristina. Fiz um juramento, esqueceu?

Cristina ? Aquela muquirana de última foi fazer o que lá?

JP ? Não posso revelar. Não seria ético.

Cristina ? #%#@*&*#&$*$*#¨#&#&#¨!!!!

JP ? Você é muito fina, Cristina.

JP vai tomar uma ducha para esfriar a cabeça. Seu casamento é um verdadeiro inferno na Terra. Mas JP é tem carinho por Cristina, uma mulher quase assexuada, ressentida, mas apaixonada por ele. E esforçada. São tubos e tubos daquele remedinho deslizante. Ela até que se esforça, mas daquele mato literalmente não sai e nem entra coelho. JP pensa em Helen. Maldita mulher ...

Enquanto isso na casa de Helen ...

Helen também no chuveiro pensa em Pedro Luiz. Aquele insensível que não me liga! Como sofro, como sofro ... Helen se enxuga, deita na cama e pensa ...


Enquanto isso na cozinha ...

O núcleo sem glamour da novela comenta a vida sexual de Helen ...

Jô ? Você tem que ver, menina. A mulher tá sempre cercada de homem. As vezes eu até uso as roupas dela para ver se pego alguma coisa.

Amiga da empregada que só vai aparecer de vem em quando ? Vai acabar pegando é uma pereba. Se ela é dadeira do jeito que você fala ...


Jô ? Cacilda .. só falta a vaca loira me passar doença!


Amiga da empregada que só vai aparecer de vem em quando ? Calcinha de patroa eu lavo de luva!

Jô ? Mas ela deve ter borogodó de primeira! Não falta homem nessa horta. Tudo bem que o seo Augusto era um bundão. Mas gatuno!! Você tem que ver mesmo é o seo Pedro Luiz .. Outro dia fui deixar umas roupas no quarto e vi o homem assim sem roupa, saindo do banheiro .. pai eterno ... não sei como ela aguenta ...

Amiga da empregada que só vai aparecer de vem em quando ? Tá brincando ...

Helen chega na cozinha.


Jô ? Então, nêga. Aí você pica a carne bem picadinha e capricha no tempero.

Helen ? O Pedro voltou a ligar?

Jô ? Não.

Helen pega o telefone.

Helen ? Pedro?

Pedro Luiz ? Oi, fofucha.

Helen ? Pedro .. você pode falar como gente grande?

Pedro Luiz ? Claro, moreco ..

Helen ? Você me irrita, Pedro. Ainda bem que você é rico. Então .. fui ao médico ..

Pedro Luiz ? O que o Pedro Bó disse?

Helen ? Deixa de ser bruto, Pedro!

Pedro Luiz ? Eu sou um homem do campo.

Helen ? Você é um artista. Podia ao menos ser mais delicado.

Pedro Luiz ? Delicadeza é coisa pra outros. Eu sou isso. E você gosta. Helen, honey, pára de enrolar. O que ele disse?

Helen ? Que você é deformado, uma aberração.

Pedro Luiz ? Fala sério .. aquela vagem gigante vai ficar reclamando de mim!

Helen ? Pedro!

Pedro Luiz ? Eu não tenho culpa. Ninguém nunca reclamou, nem os meus carneiros!

Helen ? Você é nojento!

Pedro Luiz ? Mas você me ama.

Helen ? Você é um insensível!

Pedro Luiz ? Mas você me ama!

Helen ? Vou ter que usar aquele remedinho ...

Pedro Luiz - K...

Helen - Não quero ouvir!!! ... É a única solução.

Pedro Luiz ? Tiro de letra.

Helen ? Você não vai mostrar um pingo de solidariedade?

Pedro Luiz ? Coração, estou sendo pra lá de solidário. Estamos há 5 meses sem nos procurar, digamos assim. O que mais você quer de mim??

Helen ? Você é um verme! Um coração de pedra! Nunca mais quero falar com você? Seu egoísta!!

Helen bate o telefone e se joga no sofá chorando.

Pedro Luiz é de fato uma força da natureza, um homem capaz de alternar momentos de extremo carinho com doses brutais de insensibilidade. Helen não merece isso.

Decide sair. Vai procurar Augusto, pai de Daniel, seu ex-marido.

2 comentários:

Anônimo disse...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»

alice houssad disse...

Oi Nara,
Cheguei aqui pelo HTP e não resisti.
menina, essa novela é melhor que belíssima!
quando passa o próximo capítulo?
:*