setembro 27, 2008

Você tem exatamente um segundo para aprender a me amar..

Relembro: há dois anos, por motivos profissionais, conheci boa parte do estado do Rio de Janeiro, Digo profissionais e destaco profissionais, porque nem fudendo (desculpem a grosseria) sairia do meu aprazível lar para dar pinta nos cafundó do Rio. Mas pagando, a gente faz quase tudo. Ressalto tal fato porque a moça de mal com a vida disse que eu estava viajando à toa. Quem me dera ter tempo para ficar à tôa. A tal moça, diga-se, ficou puta porque eu disse que o Noroeste Fluminense era uma titica.

Ora pois.. sou obrigada a gostar? O argumento que ela usa: há por lá um povo honesto e trabalhador. Em algum momento eu disse que não? As pessoas se ofendem por muito pouco. A cidade é feia, eu digo que é feia e aí vem aquele discurso pseudo-orgulhoso: povo honesto e trabalhador. Ai porra. Não me venha. Não gostei e pronto. E não sou obrigada a gostar e achar bonito. Assim como vejo inúmeros defeitos no Rio, cidade que adoro de paixão, vejo em muitos outros lugares. E quem ficou ofendido, que se foda.

Detesto esse discurso pseudo-pobre de mim. Ai, fica no Rio com suas balas perdidas... Ah, tá. Acha mesmo que eu vou ficar dizendo que aqui não tem nada? Aqui é sujo, imundo, um lixo, desorganizado, terra de ninguém. Mas eu gosto. E não perco meu tempo com discursinho hipócrita de povo honesto e trabalhador.

E vê se não me enche porque aqui eu falo o que eu quero porque essa pocilga aqui é minha.

2 comentários:

Fernanda disse...

hahaha.... adorei esse blog.... :)

B disse...

UIA! Arrasou. A-DO-RO mandar uma dessas de vez enquando. Tem gente que PEDE!

Em tempo: passei mal com o post de hj no HTP.

Beijos.

PS: eu escolhi sair do Rio (e do Brasil!), mesmo amando loucamente essa cidade maravilhosa. Um TERROR de lugar hoje em dia... =(