maio 01, 2008

Sério mesmo?

E o mundo não acabou, apesar de eu acreditar que o fim está próximo diante de tantos acontecimentos bizarros, pipocando quase que simultâneos. Como se não bastasse os TrapaNardoni, o padre voador, a Mulher Melancia, o Ninja da Baixada e o terremoto, tivemos nos últimos dias o austríaco "pavô" (ou pavor, acho que cabe melhor) e Ronaldo e seus Travecos.

Sei não ... e nem chegamos em agosto!!

Sei que o Brasil acabou de receber um certificado de bom pagador e entrou no seleto grupo dos países considerados minimamente sérios. Eu ainda acho que o Brasil tem que gramar muito para se tornar um país de fato sério. Vejamos o caso de Ronaldo e seus Travecos. Fico boquiaberta com a boa contade que esse menino está sendo tratado pela imprensa e pelos representantes da lei. O delegador fala dele como se o travesti tivesse praticamente ido a casa do jogador para implorar por uma noite. Li hoje no Globo que a polícia está investigando uma suposta "quadrilha" que supostamente deu um "golpe" em Ronaldo.

Francamente ... que golpe? Só se for o golpe do pintinho. Diz que não tem e chega na hora H aparece lá o dadano piando que que é uma beleza.

O único golpe que Ronaldo sofreu foi de seu próprio ostracismo, de sua latente decadência, de seu despreparo em ser aquilo que o tornou o que ele é. Ronaldo é vítima de uma vida milionária e tediosa. Se morasse num país sério não teria tamanha boa vontade. Teria, sim, seu rosto estampado nos jornais, fichado como foram Hugh Grant, Kiefer Sutherland e tantos outros astros e estrelas que saíram da linha.

Ronaldo saiu de uma festa, deixou a namorada e, alcoolizado, foi pegar travestis em um ponto de prostituição. Até onde eu sei, prostituição é uma atividade ilícita. Disso ninguém fala. Pobre coiado .. comprou gato por lebre e não pode ir ao Procon reclamar.

Ronaldo é maior de idade. Foi onde foi sabendo exatamente o que queria. Agora, joga a culpa em três pobres coitados. Não acho que Andrea/André esteja certo/certa fazendo o que faz. Mas não a/o vejo como vilão/vilã dessa história.

Mas a pobre/o pobre coitado vive no Brasil. País onde você pode matar, roubar e garantir sua trepadinha com garotas de programa sem ser importunado pela lei. Porque esta só vale para quem tem dinheiro.

Um comentário:

thassio disse...

ao contrário dos EUA, no Brasil a prostituição é uma atividade LÍCITA, tanto para quem oferece como para quem procura. as únicas atividades ilícitas relacionadas à prostituição são manter casa de prostituição e explorar a atividade (atuar como cafetão). mas a profissional e o cliente não estão cometendo nenhuma ilegalidade...