setembro 21, 2007

Meia entrada, a polêmica

Recadinho de Luciano, fiel leitor:

A meia-entrada não é ganância de produtores. Talvez seja, em boa medida, uma burrice dos estudantes, que pensam que ganham algo com ela. Por conta das leis de meia-entrada, todos, ou quase todos, os espetáculos têm preços dobrados nas bilheterias. Além do mais, é preciso que os estudantes tenham a mínina consciência. Essa lei obriga os artistas e produtores a darem meia-entrada sem nenhum subsídio do Estado. Onde já se viu! Quem ai foi no médico, apresentou a carteira, e ele cobrou meia-consulta? Quem já foi no supermercado, apresentou a carteira e pagou meia-conta? Quem já foi ao advogado, ao padeiro, ao dentista, ao hospital, ao sei lá o quê mais, e pagou meia pelo serviço prestado por eles? Portanto, porque a classe de artistas e produtores, que é bastante sufocada no País, tem que dar parte da força de seu trabalho para financiar a cultura do País. Isso não é função do Estado? Quem tiver a mínima consciência, escute o que digo. Passei aqui sem querer. Não voltarei mais. acerdito, com boa vontade, que 95% dos artistas vivem à mingua, com níveis de vida bem abaixo dos de muitos dos estudantes que pagam meia em seus espetáculos. Isso está errado. O mercado tem que se autoregular, para o bem de todos, inclusive dos estudantes, que entenderão, um dia, que a equanimidade e justiça também são questões culturais. Precisamos mudar a nossa cultura do "só venha a nós ao vosso reino".
Só para completar. Não sou artista, nem produtor. Sou profissional liberal e odiaria que os governos fizessem caridade com o meu dinheiro.

3 comentários:

Kukla disse...

Nunca havia pensado desta forma. E é bem racional mesmo esse pensamento.
Gostei!

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Chegando meio sem pedir licensa, sou um grande mal-educado ;)

Mas, não discordo. Porém, também acho que o Governo tem que parar de 'fomentar cultura' com lei Rouanet.

Afinal, sou da massa assalariada e detesto que o Governo enriqueça produtora 'global', diretores com 15 filmes no currículo, artista que não termina filme e agora até cantoras que cobram 100 pratas de ingresso (e ainda captam um milhãozinho pra 'ajudar' na turnê) com dinheiro do fisco. E esse povo fica sem dar contrapartida social e ainda reclama! ;)