setembro 08, 2003

Enquanto tudo quebra ...

Casa é igual a carro. Vai ficando velha e só dá problema. Depois de uma luta inglória com o secador, que finalmente recebeu novas cordas, num processo que me deixou com os braços doloridos por vários dias, e de outra com o chuveiro que pingava insistentemente, chegou a vez da lâmpada da cozinha ficar tirando onda da minha cara. Vou sucumbir e chamar o porteiro. Botei a lâmpada, que funcionou somente por uns três dias. Fico lendo a coluna da Ana Cristina Reis no caderno Ela sobre a saga dela morando sozinha pela primeira vez. As lutas são as mesmas, apesar da casa dela ser muito mais bonita que a minha. Mas as formigas continuam lá, enchendo o meu açúcar e meu pote de doce de leite. Morram todas. Pelo menos dei um jeito no abajour da minha mesa de cabeceira. Agora sim, temos uma luz para ler. Mas se eles pensam que vão me derrotar, enganam-se. Vencerei todos eles. A começar pelo ferro de passar que prontamente será substituído por outro. Mas nesse item, a faxineira (e bem que me avisaram) vai levar um puxão de orelha.

Nenhum comentário: